• NATURCONDE

    BIODIVERSIDADE

ENTRE O TRITÃO-DE-VENTRE-LARANJA E A ROLA-BRAVA
HÁ UM MUNDO DE DIVERSIDADE.

Se há traço definidor da Naturconde enquanto espaço natural, ele é a diversidade. Uma enorme profusão de habitats, ecossistemas, espécies, biótipos, caracterizam esta Paisagem Protegida, que em 380 hectares de área concentra uma extraordinária variedade biológica. O destaque vai essencialmente para a avifauna, ja que ocorrem aqui 145 espécies de aves, 92 das quais abrangidas pela Convenção de Berna, relativa à proteção das espécies migradoras. Mas os anfíbios estão igualmente bem representados, encontrando-se no território 14 das 17 espécies presentes em Portugal.

TRITÃO-DE-VENTRE-LARANJA

Lissotriton boscai

Pequeno tritão de tamanho até 9 cm, com cabeça arredondada e olhos pequenos, proeminentes e laterais. Possui cauda muito achatada lateralmente, com crista reduzida ou ausente. As patas são finas, com 4 dedos nas da frente e 5 nas traseiras. A pele é lisa na fase aquática e rugosa na terrestre. Tem costas em tons que variam entre os castanhos, os verde-oliváceos e os amarelos, com manchas pretas. O ventre é tipicamente laranja, com manchas escuras redondas. As fêmeas são maiores e mais cilíndricas, e os machos mais delgados e com manchas escuras mais evidentes. Tem atividades terrestre, sobretudo à noite, e aquática (noturna ou diurna). Pode invernar ou estivar e acasala na água após um complexo comportamento de corte. Come pequenos invertebrados aquáticos. Vive em vários tipos de locais, desde prados ou zonas agrícolas a massas de água muito diversas, como rios ou poços.

ROLA-BRAVA

Streptopelia turtur

Esta espécie estival e migradora de passagem é a mais pequena rola da Europa, fácil de distinguir pelas riscas pretas e brancas nos lados do pescoço, e pelas penas das asas pretas no centro, com extremidades ruivas. É uma ave muito tímida e discreta que constrói o seu ninho em árvores, onde coloca dois ovos entre maio e agosto. Normalmente, faz duas posturas por ano. Alimenta-se de sementes e partes verdes de plantas. É ainda uma espécie cinegética, embora a sua população tenha decrescido muito. Importa, por isso, preservá-la, ainda mais porque a Naturconde é o território onde já foram capturadas e anilhadas mais rolas na Europa.

Com uma diversidade tão expressiva na Naturconde, onde vivem ou ocorrem quase todas as espécies lusas, os anfíbios comprovam a importância desta Paisagem Protegida e aumentam a nossa responsabilidade em relação à sua proteção. Vivendo na água e em terra, alternando nestes dois mundos pelo menos durante uma fase do seu ciclo de vida, os anfíbios são seres especiais com particularidades únicas.

SALAMANDRA-DE-PINTAS-AMARELAS

Salamandra salamandra

Com hábitos essencialmente noturnos, é um anfíbio com cauda que pode atingir 25 cm de comprimento. O adulto caracteriza-se por ter cor negra de fundo, com pintas ou bandas amarelas em disposição e quantidade muito variáveis. Cada indivíduo ostenta um padrão único, tal como as nossas impressões digitais. Tem uma fase larvar aquática, com brânquias plumosas, e apresenta uma mancha clara na zona do tronco de inserção dos membros. Ocorre em diversos habitats: zonas montanhosas, áreas húmidas e sombrias com muita chuva, e junto a ribeiros e charcos. É muito abundante no Norte do país. Alimenta-se de escaravelhos, formigas, caracóis, lesmas, minhocas e aranhas. Segrega substâncias tóxicas de defesa e alerta os eventuais predadores com a sua cor amarelo-vivo.

TRITÃO-MARMORADO

Triturus marmoratus

Espécie de tamanho médio, até 16 cm. Tem a cabeça deprimida e olhos proeminentes laterais. O corpo é arredondado e a cauda muito achatada lateralmente. A pele é granulosa e o dorso esverdeado, com manchas escuras e ventre branco, creme ou cinza. Os machos têm cabeça mais pequena, patas maiores e crista dorsal alta de cor escura, com bandas verticais verdes ou amareladas. As fêmeas têm uma linha amarela ou alaranjada a meio das costas, desde a cabeça até ao final da cauda. Tem hábitos maioritariamente noturnos, sendo aquáticos apenas na reprodução. Pode invernar e/ou estivar. Vive em muitos habitats próximos de água, como poços, lagoas e charcos.